Terceira Idade

A distribuição da atividade neural depende de vários aspectos: a densidade da massa cinzenta, as conexões das áreas cerebrais e da presença de neurotransmissores em combinação apropriada. A dopamina possui função de regular o comportamento, movimento voluntário, cognição, motivação, recompensa, atenção, aprendizagem e humor; a serotonina tem a função de regular o humor, apetite, sono, memória, aprendizagem e no trato gastrointestinal estimula o metabolismo, o crescimento celular e a digestão. As condições médicas associadas ao baixo nível de dopamina incluem o mal de Parkinson, a fobia social, transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) e depressão profunda. O transtorno bipolar está associado a níveis altos de dopamina.

Quando existe algum problema nos neurotransmissores serotonina e endorfina, a pessoa começa a apresentar sintomas como desânimo, tristeza, autoflagelamento, perda do interesse sexual e falta de energia para atividades simples. As condições médicas associadas a baixos níveis de serotonina incluem depressão, transtornos de ansiedade, obesidade e enxaqueca; a síndrome da serotonina (enxaqueca, problemas gastrointestinais e alguns tipos de doenças cardiovasculares, incluindo fibrose endocárdica) está associada a altos níveis de serotonina.

A capacidade defasada da memória de trabalho e a dificuldade de avaliar as opções parecem associadas a déficits do processamento neural; a influência genética é decisiva apenas em certa medida. Assim alguns idosos que detém maiores recursos intelectuais e tem estilo de vida saudável podem chegar a um padrão semelhante ao de um indivíduo jovem. Apenas recentemente os estudos passaram a focar variáveis como genética, personalidade e qualidade de vida; vários deles sugerem que elas são decisivas no processo de envelhecimento neural.

Por outro lado, sabe-se que o estresse é um dos grandes responsáveis pelo envelhecimento crônico e um fator que aumenta a propensão ao estresse é a instabilidade emocional que é decorrência natural das alterações dos neurotransmissores.

Assim, um programa adequado para a terceira idade, é o que visa à ativação neural estimulando novas redes de conexões cognitivas, emocionais e motoras, convidando o cérebro a pensar, expandindo seus limites e potencializando suas capacidades. As atividades devem envolver um levantamento apropriado das condições dos neurotransmissores, determinação e intervenção no processo de medo para proporcionar motivação e desenvolvimento de competências diversas (raciocínio lógico, criatividade, habilidade de análise e síntese, solucionar problemas de forma rápida e criativa), capacidade de expressão, liderança, autoestima e relacionamento interpessoal, ao lado de reabilitação motora por atividade física apropriada.

Trabalho individual que pede a intervenção eventual de profissionais da área médica.